Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

zassu

16
Jul22

Versejando com imagem - Ode, de Manuel da Veiga Tagarro

VERSEJANDO COM IMAGEM

 

O D E

PINTASSILGO_(_Carduelis_magellanica_)

De um verde ramo o doce pintassilgo

Vozes ao vento dava;

Tais primores inventa

Que o Tejo que passava

Pirâmides de vidro trasladava.

 

Anfriso pobre, sobre a barca humilde,

Na mão o leme tinha

E, ouvindo o vário canto,

Pera a praia se vinha

Por gozar de mais perto a avezinha.

 

Chegou o peregrino à praia amena,

E o pássaro contente

Compassos de garganta

Dobra mais brandamente,

Como quem de desgostos vive ausente.

 

Anfriso, de sua barca debruçado,

Ao pranto as rédeas dava

Tendo os olhos na areia,

E quando os levantava

Ao pequeno cantor assi falava:

 

Músico ramalhete, que cantando

Ao tom das claras águas,

De cuidado isento e de mágoas,

Não sentistes de amor as duras fráguas;

 

Se faz das ondas órgãos de cristal

Este rio fermoso

A que os cantos largais

De álamo frondoso

Com vossa companhia venturoso;

 

Se as capelas de vozes acordadas

Quando as pintadas aves

Fazem salvas ao dia,

Alegres e suaves,

Ora agudos acentos, ora graves;

 

Se naquele sonoro ajuntamento

De solfa não aprendida

Lançais o contraponto

Com garganta subida.

Temei, pássaro, a sorte endurecida.

 

Temei do caçador os cegos laços

E temei muito mais

As redes do Amor,

Que se hoje cantais,

É porque vosso mal não adivinhais.

 

Não fieis nessas penas de ouro e verde

Nem no canto acordado,

Porque eu também cantei.

Ai, rigoroso fado!

Quantos tiros esta alma tem provado!”

 

Isso dizendo, o pássaro voava;

E ele, a proa virando,

Dividia as escumas

Suspiros derramando

Que os ventos pelos ares vão levando.

 

Manuel da Veiga Tagarro

Manuel da Veiga Tagarro foi um poeta português ativo durante o século XVII.  

A Laura Anfriso (Évora, 1627) é considerava a obra principal deste Autor.

 

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Lara Morais

    Em que livro posso encontrar este poema?

  • Jorge

    Olá, por acaso tem a análise deste poema?

  • Jorge

    Olá, por acaso tem a análise deste poema?

  • Aqui há coração

    Poesia em cada palavra.

  • Anónimo

    Depois de ler o texto e do qual gostei imenso (poi...

Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub