Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

zassu

12
Out20

Versejando com imagem - Conclusão - Isabel de Sá

VERSEJANDO COM IMAGEM

 

CONCLUSÃO

main_destaque_asiandelight.jpg

Fui amante da morte

e da beleza. Vi a loucura,

acreditei na vida.

Da infância falei

como lugar de abismo.

O prazer

foi também a grande fonte

de perturbação e alegria.

Lembrei as mulheres

que recusaram submeter-se,

escrevi palavras fúnebres.

 

Não poupei a adolescência,

o coração magoado

e não soube que fazer

de mim fora das palavras.

Escrevi para desistir

e depender

e ter identidade.

 

Isabel de Sá,

in 'Erosão de Sentimentos'

violencia-domestica-denuncia-4.jpg

10
Out20

Versejando com imagem - A noite cai, de Amadeu Batista

 

VERSEJANDO COM IMAGEM

 

A NOITE CAI

A Noite Cai.jpg

A noite cai e o poeta parte para a cidade.

 O alforge vai cheio de sedimentações, beringelas,

 leiras de feijão, e um potente holofote,

 para iluminar o tempo.

 

Recém-chegado da província, cabe-lhe

 manusear o livro, o alfa, o ómega, ainda que

 abomine tanto tumulto, tantos carros que

 passam, tanto grito,

 

e se creia um centauro nas avenidas novas. Os

 bairros, as áleas retilíneas, ampliam a

 indiferença, havendo em tudo um poder

 

infernal de crateras sobre os muros, destroços

 nas janelas, marchas forçadas, farpas.

 

Amadeu Batista

Do livro “Atlas das Circussntâncias”,

Ed. “Lua de Marfim”)

06
Out20

Versejando com imagem - Amendoins, de Ana Luísa Amaral

VERSEJANDO COM IMAGEM

 

AMENDOINS

copo-de-cerveja-com-amendoim_126059-37

Não sou capaz. Bem tento que ele venha,

o tal olhar diagonal das coisas,

mas as pessoas surgem-me tão sérias,

tão capazes nos seus discernimentos.

À minha frente agora, por exemplo,

um grupo com cerveja e amendoins.

Se fosse um tempo antes, conseguia

fazer de amendoins um qualquer tema,

descascar um poema devagar

feito de amendoins, cerveja e gente.

Mas tudo me parece tão normal

e os amendoins coisas sensatas

[apanhados do prato vorazmente,

entre gestos nervosos e correntes

conversas baloiçadas]

 

Ana Luísa Amaral

04
Out20

Versejando com imagem - A noite, de Luís Miguel Nava

VERSEJANDO COM IMAGEM

 

A NOITE

 

Bushfire season

A noite veio de dentro, começou a

surgir do interior de cada um dos objetos e a

envolvê-los no seu halo negro. Não tardou que as trevas

irradiassem das nossas próprias entranhas, quase que

assobiavam ao cruzar-nos os poros. Seriam uma duas ou três

da tarde e nós sentíamo-las crescendo a toda a

nossa volta. Qualquer que fosse a perspetiva, as

trevas bifurcavam-na: daí a sensação de que, apesar de

a noite também se desprender das coisas, havia nela

algo de essencialmente humano, visceral. Como

instantes exteriores que procurassem integrar-se na trama

do tempo, sucediam-se os relâmpagos: era a luz da

tarde, num estertor, a emergir intermitentemente à

superfície das coisas. Foi nessa altura que a visão se

começou a fazer pelas raízes. As imagens eram sugadas a

partir do que dentro de cada objeto ainda não se

indiferenciara da luz e, após complicadíssimos processos,

imprimiam-se nos olhos. Unidos aos relâmpagos, rompíamos então

a custo a treva nasalada.

 

Luís Miguel Nava

Pág. 2/2

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Aqui há coração

    Poesia em cada palavra.

  • Anónimo

    Depois de ler o texto e do qual gostei imenso (poi...

  • Anónimo

    Depois de ler o texto e do qual gostei imenso (poi...

  • concha

    Herberto Helder! Tão Grande

  • Anónimo

    Um lindo poema cheio de nostalgia.Gostei muito.Par...

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub