Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

zassu

22
Out17

Poesia e Fotografia 493

 

 

POESIA E FOTOGRAFIA

 

POEMAS NOS DIÁRIOS DE MIGUEL TORGA

 

REBATE


Minha terra,

Meu povo,

Dizei-me nesta hora de aflição

Que sempre vos amei,

Que sempre vos cantei,

E que nunca jurei

O vosso nome em vão.


Minha terra,

Meu povo,

Dizei-me nesta hora de agonia

Que essa fidelidade

Desafia

Quem à sombra da noite e à luz do dia

Negue no mundo a vossa eternidade.


Coimbra, 12 de Abril de 1977

2017.- Régua (Julho) (99).jpg

 

21
Out17

Poesia e Fotografia 492

 

 

POESIA E FOTOGRAFIA

 

POEMAS NOS DIÁRIOS DE MIGUEL TORGA

 

OFERENDA


Abre as mãos e recebe

Esta serôdia oferta

De um poema de amor.

Ilusões refloridas a desoras

Num toco carcomido,

São assim os poetas:

Dão no pino do inverno

Versos de primavera.

A razão? Talvez seja

Que neles o coração

Mesmo velho viceja.


Coimbra, 20 de Fevereiro de 1977

Found_855293808_2036549-1080x690.jpg 

20
Out17

Poesia e Fotografia 491

 

 

POESIA E FOTOGRAFIA

 

POEMAS NOS DIÁRIOS DE MIGUEL TORGA

 

SÚPLICA


Não digas, musa,

Por quantos versos reparti o pranto

Que chorei neste mundo.

Não contes

Os mil segredos que te confiei

Nas horas de abandono.

Não reveles à vida

O amor que lhe tive

E de que foste única confidente.

Perdição consciente,

Que mais ninguém me veja

Nesta triste nudez de sonhador.

Que o teu silêncio seja

O meu pudor.


Coimbra, 10 de Janeiro de 1977 

pranto.jpg 

19
Out17

Poesia e Fotografia 490

 

 

POESIA E FOTOGRAFIA

 

POEMAS NOS DIÁRIOS DE MIGUEL TORGA

 

RELANCE


Altas serras felizes

Que o sol doira de luz logo à nascença.

Que o céu olha de cima

Com a ternura extensa

Da eternidade.

Que o vento anima

De movimento

E a neve cobre de um alvacento

Manto de augusta serenidade.


Mezio, 22 de Dezembro de 1976

Por_do_sol_copiar.jpg

18
Out17

Poesia e Fotografia 489

 

 

POESIA E FOTOGRAFIA

 

POEMAS NOS DIÁRIOS DE MIGUEL TORGA

 

ANÁTEMA


Não amas, e não podes

Ler o livro da vida.

Sem amor nenhuns olhos são videntes.

A tarde triste é o sol que não consentes

Ao coração. Mundo de solidão,

O que atravessas,

É um deserto habitado

Onde apenas tropeças

Na sombra do teu eu desencantado.


Coimbra, 20 de Outubro de 1976

0.jpg

17
Out17

Poesia e Fotografia 488

 

 

 

POESIA E FOTOGRAFIA

 

POEMAS NOS DIÁRIOS DE MIGUEL TORGA

 

SOLUÇÃO À VISTA DE OLIVENÇA


Alentejo!

Minha terra total!

Meu Portugal

Aberto,

Eternamente incerto

Nas fronteiras, no tempo e nas colheitas!

Minhas desfeitas

Praças fortificadas!

Minhas insatisfeitas

Correrias,

A contar no franzido das lavradas

As rugas tatuadas

No rosto dos meus dias…


Juromenha, 4 de Outubro de 1976

olivenza.jpg

16
Out17

Poesia e Fotografia 487

 

 

POESIA E FOTOGRAFIA

 

POEMAS NOS DIÁRIOS DE MIGUEL TORGA

 

TRANSFIGURAÇÃO


O sol e o mar deram à tua pele

O tom do bronze, a cor da eternidade.

E agora, nos meus olhos de poeta,

És uma deusa eterna a passar

Na praia iluminada.

Imaginada

Num poema despido,

Desafias o tempo, olímpica e sagrada,

Humana só na sombra de o teres sido.


Albufeira, 14 de Agosto de 1976

2009 -  Algarve (Agosto) 139.jpg

 

15
Out17

Poesia e Fotografia 486

 

 

POESIA E FOTOGRAFIA

 

POEMAS NOS DIÁRIOS DE MIGUEL TORGA

 

REQUIEM


Viam a luz nas palhas de um curral,

Criavam-se na serra a guardar o gado.

À rabiça do arado,

A perseguir a sombra nas lavradas,

Aprendiam a ler

O alfabeto do suor honrado.

Até que se cansavam

De tudo o que sabiam,

E, gratos, recebiam

Sete palmos de paz num cemitério

E visitas e flores no dia de finados.

Mas, de repente, um muro de cimento Interrompeu o canto

De um rio que corria

Nos ouvidos de todos.

E um Letes de silêncio represado

Cobre de esquecimento

Esse mundo sagrado

Onde a vida era um rito demorado

E a morte um segundo nascimento.


Barragem de Vilarinho da Furna, 18 de Julho de 1976

Vilarinho-das-furnas-portugal_003.jpg

14
Out17

Poesia e Fotografia 485

 

 

POESIA E FOTOGRAFIA

 

POEMAS NOS DIÁRIOS DE MIGUEL TORGA

 

PLANALTO


Alto céu, alta luz, alta pureza.

Ascensão da granítica aspereza

Dos homens e do chão.

Guiada pela mão

Da fome insatisfeita,

A teimosa charrua da vontade

Lavra e semeia as fragas da planura.

Mas a grande colheita

É de serenidade:

A paz em cada criatura.


Miranda do Douro, e de Maio de 1976

artesanato_2.jpg

13
Out17

Poesia e Fotografia 484

 

 

 

POESIA E FOTOGRAFIA

 

POEMAS NOS DIÁRIOS DE MIGUEL TORGA

 

NATAL


Outro Natal.

Outra comprida noite

De consoada,

Fria,

Vazia,

Bonita só de ser imaginada.


Que fique dela, ao menos,

Mais um poema breve,

Recitado

Pela neve

A cair, ao de leve,

No telhado.


S. Martinho de Anta, 24 de Dezembro de 1975

1920x1080_chale-branco-de-neve.jpg

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Lara Morais

    Em que livro posso encontrar este poema?

  • Jorge

    Olá, por acaso tem a análise deste poema?

  • Jorge

    Olá, por acaso tem a análise deste poema?

  • Aqui há coração

    Poesia em cada palavra.

  • Anónimo

    Depois de ler o texto e do qual gostei imenso (poi...

Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub